Congresso “Força de Vida”

De 17 a 20 de outubro de 2019, cerca de 500 compadres e comadres reuniram-se no Porto para o 48º Congresso Mundial das Academias do Bacalhau, que ficou batizado como Congresso “Força de Vida” – muito por influência do incansável presidente da Academia-anfitriã, César Gomes de Pina.

“Participei em vinte e dois Congressos Mundiais e realizei este. Empenhei todas as minhas forças e devo dizer-vos que estou feliz com o resultado”, confessou César Gomes de Pina, presidente da Academia do Bacalhau do Porto desde 2005.

O resultado, esse que César Pina evoca, foi uma festa de quatro dias que reuniu compadres e comadres de várias dezenas de Academias, oriundas de quatro continentes e que contou também com a presença de algumas personalidades, nomeadamente o cessante Secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, que afirmou no seu discurso que “as

Academias do Bacalhau transformaram-se num grande movimento de solidariedade que hoje está presente em várias partes do mundo”. José Luís Carneiro terminou a sua intervenção atribuindo o diploma e Medalha de Mérito das Comunidades Portuguesas, grau de ouro, ao organizador do Congresso e presidente da Academia do Bacalhau do Porto, César Gomes de Pina “pelos anos de dedicação a esta causa que é uma causa de Amizade, de Solidariedade e que é também a causa da herança histórica e cultural, porque é isto que todos fazemos ao valorizar o trabalho das Academias do Bacalhau”. Emocionado, César Gomes de Pina declarou ser aquele “o momento mais prestigiante da sua vida”.

Também o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fez questão de deixar uma mensagem aos Congressistas, apesar de não ter podido estar presente. “Não é todos os dias que se reúnem sob o mesmo teto, portugueses de tão diferentes e longínquas latitudes celebrando em conjunto a amizade, a solidariedade e a portugalidade. Não podendo estar fisicamente presente convosco partilho agora o espírito que anima as Academias do Bacalhau em todo o Mundo e quero deixar-vos três breves palavras, a primeira de gratidão, tendo em mente o caminho de cinco décadas percorrido pelas 61 Academias do Bacalhau, congregando milhares de portugueses em todo o mundo. (…) Uma segunda palavra de estímulo à rede que as Academias do Bacalhau representa. Antes de mais, uma rede de Portugalidade, uma rede que ajuda a compreender a força do associativismo da diáspora. (…) Finalmente uma palavra de desafio. Um desafio feito em dois sentidos, porque envolve todos os portugueses. Aqueles que vivem dentro das nossas fronteiras físicas e aqueles que se encontram espalhados pelo mundo. O desafio de criar uma plena consciência nacional em torno da nossa diáspora, do valor dos nossos compatriotas que, como muitos de vós, vivem e trabalham fora de Portugal. Só assim conseguiremos ter a verdadeira noção do país que somos, da verdadeira dimensão de ser português”, escreveu na mensagem que enviou à Academia do Bacalhau do Porto e que foi lida perante todos os congressistas.

Para além das refeições-convívio, os congressistas reuniram-se para debater o futuro do movimento numa sessão de trabalhos que contou com os presidentes e vice-presidentes das tertúlias, mas foi também aberta a quem mais quisesse participar.

A Academia do Bacalhau de Paris apresentou a proposta da unificação dos estatutos das Academias, de maneira a que todas se rejam pelas mesmas normas. Nomeadamente, estes estatutos incluem um limite máximo para o número de anos que cada compadre pode estar na presidência de uma Academia. O objetivo seria favorecer a rotatividade e permitir o desabrochar de novas ideias e iniciativas. Após um debate intenso, esta proposta foi chumbada pelos presentes na sessão de trabalhos.

A ABP apresentou ainda outra proposta – aliás, já apresentada noutros Congressos, mas que ainda não viu a luz do dia – relacionada com a criação de uma base de dados global das Academias, coordenada pela Academia-Mãe. O resultado da proposta é algo que só o futuro ditará, uma vez que o assunto tem sido constantemente debatido em Congresso mas nunca foi posto em prática por quem de direito.

Nesta reunião foram ainda propostas e aprovadas três novas Academias do Bacalhau: Trás-os-Montes, Sydney e Quito. A Academia-Mãe terá agora de agendar uma deslocação a cada uma destas Academias para proceder à oficialização das mesmas.

Na sessão de trabalhos foi tomada a decisão de que o Congresso do próximo ano decorrerá na cidade sul-africana de Pretória.

Congressistas visitaram Porto e região envolvente

Como habitualmente, o Congresso não serviu apenas para se debater assuntos relacionados com o movimento, mas também para providenciar agradáveis momentos de passeio e partilha de amizade entre os presentes. Assim, a Academia anfitriã preparou um programa turístico-cultural que incluiu não apenas visitas na cidade invicta, mas também noutras localidades da região.

No primeiro dia oficial de Congresso, 17 de outubro, quinta-feira, ao fim da tarde, realizou-se o primeiro momento de convívio do Congresso, na Quinta da Boucinha, em Vila Nova de Gaia. Foram servidos um cocktail e um jantar de boas-vindas, e os convidados foram recebidos com uma atuação do grupo coral “Pequenos Cantores da Maia”.

A sexta-feira começou com um passeio turístico-histórico-cultural à cidade do Porto em autocarro panorâmico, permitindo a quem não conhecia descobrir alguns dos encantos da cidade nortenha. Após este passeio, os compadres e comadres foram levados ao Cais da Ribeira, onde embarcaram num cruzeiro que os levou a ver as seis pontes que cruzam o rio Douro entre o Porto e Vila Nova de Gaia, enquanto lhes era servido um agradável almoço convívio. À tarde, o grupo continuou com o passeio turístico, desta vez a pé, pela pitoresca zona da Ribeira. O passeio terminou numa cave de vinho do Porto onde os compadres e comadres puderam apreciar esta emblemática bebida portuguesa. À noite, o esplêndido Yeatman Hotel foi o palco para o jantar de abertura oficial do Congresso, num ambiente de requinte e com uma maravilhosa vista sobre o Douro e o Porto. Foram trocadas lembranças entre a Academia anfitriã e as Academias visitantes e, após o discurso de encerramento, os congressistas voltaram aos hotéis – o dia seguinte teria, mais uma vez, um programa exaustivo!

No sábado de manhã procedeu-se à sessão de trabalhos do Congresso, onde as Academias presentes apresentaram as suas propostas para melhoria das regras de funcionamento do movimento. Foi também durante esta sessão de trabalhos que foram oficializadas as novas Academias de Quito, Sydney e Trás-os-Montes. Enquanto um grupo composto por presidentes, vice-presidentes e alguns dos compadres e comadres interessados em participar na reunião debatia na sessão de trabalhos, os restantes congressistas fizeram um passeio à cidade berço de Guimarães e à vila minhota de Caminha. Os dois grupos encontraram-se pela hora de almoço, em Vila Praia de âncora, para um almoço-convívio no Hotel Meira. Seguiu-se depois um passeio a Viana do Castelo, após o qual os congressistas regressaram ao Porto para se prepararam para o jantar de gala dessa noite. O evento teve lugar na famosa Alfândega do Porto e contou com a atuação do grupo “Baladas de Coimbra”.

O último dia de Congresso, domingo, 20 de outubro, começou com um passeio até à Quinta das Camélias, em Avintes, onde foi servido um buffet regional, no almoço de encerramento oficial de todo o programa. Os congressistas puderam assistir à atuação de um rancho folclórico e aproveitar depois um momento de relaxamento com animação musical e uma matiné dançante. A meio da tarde, chegou a hora da despedida, na certeza do reencontro no próximo ano, na cidade sul-africana de Pretória.

Copyright 2005-2018 © bacalhau.fr All Rights Reserved
Conception & Réalisation : inzewind.com